SISTEMA SUÍCO DA CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE DAMAS E TODAS AS SUAS FILIADAS


É um sistema de disputa criado pelo suíço Julius Muller no final do século XIX foi utilizado pela primeira vez em um torneio de xadrez em Zurique, Suíça, dando ao sistema o seu nome.

É hoje o sistema de disputa mais utilizado nos torneios oficiais dos Esportes Intelectuais, onde jogadores ou equipes precisam ser colocados em pares, para enfrentarem-se entre si.

Esse sistema tem a vantagem de permitir um grande número de participantes com um número pequeno e determinado de rodadas sem a necessidade de eliminar participantes.

Segue o mesmo sistema de contagem de pontos do sistema todos contra todos (round-robin) porém com as seguintes regras:

Número pré-determinado de rodadas.

Dois participantes não se enfrentam mais que uma vez.

Na rodada 1: o emparceiramento dos confrontos é feito através do rating ou de sorteio, caso os jogadores não possuam rating.

Nas demais rodadas: participantes com pontuações iguais são emparceirados.

Caso não seja possível emparceirar participantes com o mesmo número de pontos o confronto será com o concorrente com pontuação mais próxima possível.

Nos torneios oficiais da Confederação Brasileira e suas filiadas adota-se como ferramenta obrigatória dos árbitros o software Swiss Perfect 98 que organiza automaticamente torneios no sistema suíço, isso a fim de evitar erros na organização feita de forma manual.

Número ímpar de participantes ("BYE")


Se o número total de participantes de um torneio for ímpar, um dos participantes acabará desemparelhado, ou seja sem adversário para enfrentar na rodada.

Nesse caso esse jogador será definido como BYE e receberá a pontuação observando-se dois critérios:

a) se a ordem dos jogadores foi definida por sorteio, então o BYE receberá 2 (dois) pontos, ou seja, uma vitória e

b) se a ordem dos jogadores foi definida por ranking (utilizando-se o rating nacional), então o BYE receberá 1 (um) ponto, ou seja, um empate.

Os critérios para definir qual participante do torneio ficará desemparelhado na rodada é:

1 - Não ter recebido nenhum BYE no torneio (com exceção das competições com 9 ou 11 equipes dos Jogos Regionais e Abertos do Estado de São Paulo, onde o bye na última rodada é a equipe última colocada, mesmo que já tenha sido bye nas rodadas anteriores);

2 - Possuir o menor número de pontos;

3 - Possuir o menor rating;


Emparceiramento da última rodada


Na última rodada é necessário fazer o emparceiramento forçado por ordem de colocação e rating, obedecendo os seguintes passos:

1 - Se o número de participantes for ímpar, o primeiro passo a ser dado é definir o bye, observando-se as condições onde deve se repetir o bye.

2 - Se o número de participantes for par, o primeiro passo a ser dado é definir o adversário do último colocado.

3 - A seguir definir o adversário do primeiro colocado.

4 - Após isso, definir os demais emparceiramentos.


Critérios de desempate


Há 2 tipos de Critérios de desempate no Sistema Suíço:

Baseia-se no desempenho dos adversários enfrentados;

Baseia-se no desempenho individual.


Desempate baseado no desempenho dos adversários

Buchholz

Buchholz (ou milésimos) é a soma dos pontos de cada um dos oponentes enfrentados ao longo do torneio, a idéia é, em caso de empate, favorecer quem enfrentou os maiores pontuadores. Esse desempate é muito usado em torneios oficiais de Damas e Xadrez, especialmente no Sistema suíço. O nome é uma homenagem ao alemão criador desse desempate.

O Buchholz possui muitas variantes como:

Buchholz Total: soma da pontuação dos adversário sem descartar nenhum resultado.

Buchholz Corrigido: soma da pontuação dos adversários descartando o pior resultado.

Buchholz Mediano: soma da pontuação dos adversários descartando o melhor e o pior resultado, ou descartando os 2 melhores e os 2 piores resultados, e assim por diante.


Desempates baseado no desempenho individual

Progressivo

Também conhecido como "Escore Acumulado" ou "Desempate Roberto Telles de Souza" que é a soma dos pontos de uma equipe (ou jogador) em cada rodada. Esse desempate tende a favorecer quem teve melhor desempenho no início do torneio, isso porque no sistema suíço concorrentes com o mesmo número de pontos se enfrentam, dessa forma quem faz mais pontos nas primeiras rodadas acaba enfrentando adversários mais fortes em relação aquele que fez mais pontos nas últimas rodadas. Exemplo:

Nos eventos por equipes da Secretaria da Juventude, Esporte e Lazer do Estado de São Paulo, o Escore acumulado é utilizado tanto na forma de pontos por equipes como na forma de pontos por match.


Vitórias

Favorece quem possui maior número de vitórias em esportes que admite empate. Foi um dos principais critérios de desempate entre as décadas de 70 e início dos anos 80, hoje porém caiu em desuso sendo eventualmente usado como um dos últimos critérios de desempate em torneios oficiais.


Confronto direto

Quando dois competidores possuem o mesmo número de pontos, e igualdade nos demais critérios que o regulamento coloca como prioritários, qualifica-se o competidor que houver vencido a única partida disputada entre os dois durante o torneio. Porém, esse critério só é válido caso haja apenas dois participantes empatados ou caso um dos participantes tenha vencido todos os adversários empatados em questão. Esse critério é hoje o critério número para todos os eventos da Confederação Brasileira de Damas e suas filiadas (apenas para dois atletas ou duas equipes empatadas).


Escores menores (Minor scores)

É a contagem dos pontos por tabuleiros.


Emparceiramento acelerado

O método de Emparceiramento Acelerado (Accelerated Swiss Pairing) é usado em alguns torneios quando o número de participantes é muito grande e o número de rodadas relativamente pequeno, tendo então o objetivo de colocar os jogadores de maior rating em confronto já a partir da primeira rodada.

Ao mesmo tempo os jogadores de menor rating se enfrentarão e os de maior pontuação após o término do aceleramento serão incorporados juntamente com os de maior pontuação

entre os de maior rating.

Dessa forma o sistema oferece oportunidade a que os de menor rating, que mais pontuarem, possam enfrentar os de maior rating.

É um sistema excelente e faz com que o evento eleve a qualidade de apuração dos primeiros colocados.

Para utilizá-lo o árbitro precisa ter amplo conhecimento do funcionamento lógico do sistema suíço, assim como, ter a capacidade de entender qual a quantidade de rodadas que deverá ser acelerada.

Recomenda-se que o árbitro que nunca utilizou o Acelerador informe-se com árbitros mais experientes a forma de aplicá-lo.





Swiss Perfect - Passo a Passo


 

Curso de Swiss Perfect com

Lélio Marcos L. Sarcedo.

Parte 1.


Curso de Swiss Perfect com

Lélio Marcos L. Sarcedo.

Parte 2.


]




















Home
 Home Page
 regras oficiais
 tablita
 sistema shcuring
 suico
 rating
 regulamentos
 perguntas
 material
 normas
 arbitros
 terminologia
 historia
 English Rules
 cadastro
 acessoaorating